Avaliação da formação em Odontologia no Brasil: construção e validação de uma matriz de análise e julgamento

Resumo: O processo de ensino e de aprendizagem em Odontologia, ao longo de sua trajetória, sempre teve a produção do conhecimento mediado pela docência, como principal eixo condutor de suas ações. Há necessidade de se problematizar o ensino e a aprendizagem no curso de graduação em Odontologia para defrontar-se com as principais características que o identifica. Diante disso, as universidades também vivem um momento especial, em busca de ampliar sua relevância social, pois não ocupam mais o mesmo lugar do passado na produção do conhecimento, nem em sua difusão. Para a área odontológica, as diretrizes curriculares aprovadas pela Resolução CNE/CES 3/2002, de 19 de fevereiro de 2002, definem o perfil do formando egresso/profissional, visando adequação às mudanças sociais e
políticas que aconteceram nos últimos tempos, e que contribuem para a necessidade de se pensar a formação em saúde. Para que as mudanças propostas pelas diretrizes curriculares tornem-se realidade nos cursos da área de saúde no país, mudanças nos currículos e, consequentemente, nos projetos pedagógicos devem ser viabilizadas para que as instituições de ensino superior cumpram o seu papel na formação de um profissional para a atualidade. O objetivo
desse projeto é desenvolver um modelo de avaliação da formação em Odontologia no Brasil, com base nas Diretrizes
Curriculares Nacionais (DCNs). Trata-se de uma pesquisa avaliativa, com abordagem mista (quantitativa e qualitativa) que compreende cinco etapas. Na Etapa 1, será realizada uma revisão sistemática da literatura, a fim de caracterizar a formação em Odontologia no Brasil e no mundo. Serão seguidas as recomendações da Colaboração Cochrane e itens de verificação preconizados pela ferramenta Preferred Reporting Items for Systematic reviews and MetaAnalyses (PRISMA) e o protocolo de investigação será registrado na base de dados Prospective Register of Systematic Reviews (PROSPERO). Foi definida a seguinte pergunta norteadora: Como tem se dado a formação em Odontologia no Brasil e no mundo? O acrônimo POT orientará o estudo: População (cursos de graduação em Odontologia); Desfecho
(“outcome”) (adequação na formação mensurada segundo alcance do perfil e habilidades esperados); e Tipo de estudo (estudos observacionais e de intervenções publicados). Serão utilizadas palavras-chave combinadas na busca nas bases de dados Scielo, PubMed, Web of Science, Scopus e BIREME: “ensino odontológico”, “currículo”, “avaliação educacional”, “educação superior”. Utilizar-se-á o filtro “textos publicados nos últimos 10 anos”. Os critérios de inclusão serão: trabalhos originais que abordem a formação superior em Odontologia em português, inglês ou espanhol, quantitativos ou qualitativos. Também será incluída na pesquisa a literatura cinzenta. Os critérios de exclusão serão: estudos do ensino na pós-graduação e intervenções não testadas em um ambiente educacional. Os textos serão organizados no gerenciador de referências Mendeley. O formulário para analisar os estudos selecionados incluirá autores e ano de publicação; desenho do estudo; objetivo; participantes; amostra; desfechos; e resultados principais. Será também avaliada a heterogeneidade dos artigos. Todo o processo será realizado por dois pesquisadores. A qualidade dos estudos selecionados será avaliada seguindo a ferramenta de avaliação aconselhada pela Colaboração
Cochrane. Será realizada uma síntese narrativa para integrar os achados. Na Etapa 2, será realizada a construção e a validação de uma Matriz de Análise e Julgamento (MAJ) para avaliação da formação em Odontologia no Brasil, com base nas DCNs. A matriz deverá conter as dimensões e subdimensões de avaliação e seus respectivos critérios ou
indicadores, fontes de informação, classificação, pontuação de cada nível de classificação e parâmetros. Para sua elaboração, será realizada uma análise de conteúdo temática de documentos como as DCNs (2002), instrumentos de avaliação do Instituto Nacional de Ensino e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e outros a serem selecionados no decorrer do estudo. Será realizada a validação da MAJ, por meio de técnica de consenso com especialistas com experiência teórica e/ou prática com os temas ensino superior e avaliação do ensino superior no Brasil, preferencialmente de graduação em Odontologia, a serem identificados nas diversas instituições de ensino superior ou pesquisa brasileiras ou do exterior. Serão, também, elaborados os instrumentos para a coleta de dados que permitirá a alimentação da MAJ. Na Etapa 3, será realizada uma pesquisa com abordagem quantitativa para estudo do caso do curso de Graduação em Odontologia da UFES, verificando os aspectos relativos à estrutura, processo e resultados da formação, com base nas DCNs. Participarão desta etapa discentes, egressos e docentes do curso de Graduação em Odontologia da Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, Brasil. A coleta de dados será realizada pela aplicação presencial ou virtual de questionários autoaplicados. Os instrumentos a serem utilizados nesta etapa terão sido elaborados na etapa anterior da pesquisa, sendo suas questões e a categorização dos dados definidas nesta etapa 2, durante a elaboração da MAJ. Os dados coletados serão tabulados em banco de dados e serão calculadas frequências absolutas e relativas e outros testes, se necessários, para que os resultados possam ser aplicados na MAJ e também descritos de forma a possibilitar a discussão sobre os aspectos relativos à estrutura e ao processo para a formação em Odontologia na UFES. Na etapa 4, será realizada uma pesquisa qualitativa para estudo do caso do curso de Graduação em Odontologia da UFES, para analisar os fatores facilitadores e barreiras do contexto organizacional que influenciam a implementação das DCNs no Curso de Odontologia da UFES. Nesta etapa serão convidados a participar aproximadamente 10 indivíduos: gestores do curso (Colegiado e Núcleo Docente Estruturante); Direção do Centro de Ciências da Saúde; Pró-Reitoria de Graduação da Universidade; e Coordenação Estadual de Saúde Bucal. As técnicas de coleta de dados (entrevistas e/ou grupos focais) e instrumentos (questões-chave e/ou roteiros guia) serão definidos na etapa 2, visando responder à MAJ. Os dados serão gravados em áudio, transcritos e analisados segundo análise de conteúdo temática (BARDIN, 2011; MINAYO, 2016) para aplicação dos resultados na MAJ e descrição/discussão sobre fatores facilitadores e barreiras do contexto organizacional que influenciam na formação em
Odontologia na UFES. Todos os participantes assinarão um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, será solicitada anuência das instituições envolvidas, e a coleta somente terá início após a aprovação do projeto em Comitê de Ética em Pesquisa. Espera-se que, ao final da pesquisa, os resultados sejam apresentados à comunidade como um modelo de avaliação da formação em Odontologia no Brasil, composto de MAJ e instrumentos que poderão ser aplicados nos diferentes contextos de formação em Odontologia no País. Os resultados das análises de dados relativos ao curso de Odontologia da UFES servirão para a elaboração de recomendações para que a administração do curso e universidade utilize nas atividades de planejamento que subsidiam o desenvolvimento do curso. Pretende-se, dessa forma, contribuir com o ensino superior em Odontologia no Brasil e tecer recomendações para as políticas públicas nacionais na área.

Data de início: 2021-08-01
Prazo (meses): 48

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Aluno Mestrado Wellen Góbi Botacin
Colaborador Raquel Baroni de Carvalho
Colaborador Cynthia Moura Louzada Farias
Colaborador Claudia Mendonca Reis Romano
Colaborador Claudia Batitucci dos Santos Daroz

Páginas

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105