Manifestações Bucais Associadas a Quimioterapia em Crianças e Adolescentes Com Câncer

Nome: Deise Berger Velten Ramos
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 22/08/2014
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Maria Helena Monteiro de Barros Miotto Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Eliana Zandonade Examinador Interno
Maria Helena Costa Amorim Suplente Interno
Maria Helena Monteiro de Barros Miotto Orientador

Resumo: O objetivo deste estudo foi avaliar e acompanhar pacientes oncológicos infantojuvenis
com primeiro diagnóstico de câncer que receberam quimioterapia no Hospital
Estadual Infantil Nossa Senhora da Glória Vitória ES, entre abril de 2013 e abril
de 2014. O estudo foi do tipo longitudinal, pois os dados foram coletados em três
momentos: o primeiro momento com entrevista a respeito de dados
sociodemográficos, exame clínico de cárie e doenças bucais mucosite, xerostomia,
candidíase oral, gengivite e afta, foi realizado antes da quimioterapia; o segundo
momento aproximadamente um mês e o terceiro momento aproximadamente dois
meses após a quimioterapia, com exame de manifestações bucais. Um total de 51
indivíduos foi avaliado no primeiro momento e devido a perdas por óbitos,
transferência para outro hospital ou radioterapia, 42 foram avaliados no terceiro
momento. Os resultados mostraram uma baixa prevalência de cárie que se
associou a pior higiene bucal (p - 0,016) e menor escolaridade da mãe (p - 0,021).
Foram observadas algumas doenças bucais antes do início da quimioterapia,
também ocorreram complicações bucais após a quimioterapia destacando-se a
mucosite que foi a mais prevalente, sendo que outras manifestações como
xerostomia, afta, candidíase apareceram em menor número. Foram observadas
manifestações orais que necessitaram de atenção clínica, pois afetaram atividades
humanas básicas, como a comunicação e a alimentação. É fundamental, portanto a
participação do cirurgião-dentista na equipe multidisciplinar de tratamento
oncológico, para que ele possa avaliar a condição bucal dos indivíduos antes e
durante o tratamento, podendo dessa forma elaborar um plano de tratamento
adequado, atuando ativamente na prevenção, diagnóstico precoce e tratamento das
complicações orais, evitando que elas desenvolvam um curso clínico mais grave,
podendo afetar negativamente o tratamento dos indivíduos.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105