Tendências Temporais de Mortalidade por Câncer de Próstata no Estado do Espírito Santo

Nome: Polyanna Fonseca Lobato Amorim Gomes
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 26/03/2014
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Eliana Zandonade Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Angelica Espinosa Barbosa Miranda Examinador Interno
Eliana Zandonade Orientador
Luiz Claudio Santos Thuler Examinador Externo

Resumo: Introdução: O câncer de próstata é o segundo tipo de câncer mais incidente em
homens em todas as regiões do Brasil. Aproximadamente 62% dos casos
diagnosticados no mundo ocorrem em homens com 65 anos ou mais, caracterizando
o único fator de risco estabelecido. Objetivos: Estudar a tendência da completude
do Sistema de Informação de Mortalidade (SIM), segundo as variáveis idade,
raça/cor, escolaridade e estado civil no período de 2000 a 2010, no Espírito Santo,
Região Sudeste e Brasil. Analisar a tendência de mortalidade por câncer de próstata
na série histórica no estado do Espírito Santo (ES), no período de 1980 a 2010.
Metodologia: Realizou-se um estudo descritivo baseado em dados secundários de
todos os óbitos por câncer de próstata obtidos do SIM e dados do Instituto Brasileiro
de Geografia e Estatística (IBGE) disponíveis no DATASUS departamento de
informática do SUS (Sistema Único de Saúde), no ES, Região Sudeste e Brasil, no
período de 1980 a 2010. Considerou-se as variáveis (idade, raça/cor, escolaridade e
estado civil). Analisou-se o número absoluto e calculou-se o percentual de não
preenchimento das informações das declarações de óbitos (DOs), que são a base
de informação do SIM, nas localidades selecionadas (ES, Região Sudeste e Brasil).
Analisou-se através do Pacote Estatístico para Ciências Sociais (SPSS), versão
18.0. Realizou-se uma análise inferencial com ajustes de curvas para os percentuais
de dados faltantes das variáveis demográficas disponíveis no sistema do DATASUS
(estado civil, escolaridade, raça/cor). E para a análise de tendência, foi realizado o
cálculo do coeficiente de mortalidade por óbitos. As equações do melhor modelo e
as estatísticas de ajuste (valor de R2 e o p-valor do teste F de adequação do
modelo) foram obtidas do programa SPSS, versão 18.0. Resultados: No período de
2000 a 2010 a variável raça/cor, escolaridade, mostrou-se decrescente para o Brasil.
A variável estado civil destacou-se por caracterizar uma tendência crescente no ES,
Região Sudeste e Brasil. No período de 1980 a 2010 observou-se 3.561 óbitos no
ES. Observa-se na série história que há tendência crescente de mortalidade por
câncer de próstata. Conclusão: O trabalho é de grande importância para o estudo
de câncer de próstata no Brasil. Identificou-se a crescente não completude dos
campos de Estado Civil, enquanto a variável raça/cor foi considerada decrescente,
porém com qualidade dos dados ruim. É preciso ações para que o processo de
coleta dos dados seja aprimorado pela capacitação dos registradores. Nos
resultados observou-se a tendência de crescimento da mortalidade, sendo
necessárias ações, estratégias e políticas governamentais voltadas para a
integralidade à saúde masculina.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105