SigDesastre: Um sistema de monitoramento de informação na internet sobre
desastres em barragens de mineração no Brasil, desde 2015

Nome: Paola Pinheiro Bernardi Primo
Tipo: Tese de doutorado
Data de publicação: 27/09/2021
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Adauto Emmerich Oliveira Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Adauto Emmerich Oliveira Orientador
Angelica Espinosa Barbosa Miranda Examinador Interno
Carlos Eduardo Gomes Siqueira Examinador Externo
Eliane de Fátima Almeida Lima Examinador Interno
José Manuel Mendes Examinador Externo
Michele Nacif Antunes Coorientador

Resumo: Introdução: As emergências em saúde pública são cada vez mais frequentes.
Epidemias, desastres, e pandemia foram sentidas globalmente nos últimos seis
anos. Quando em 5 de novembro de 2015 ocorreu o rompimento da barragem de Fundão (RBF), no município de Mariana, em Minas Gerais, os meios de
comunicação trouxeram à tona o discurso sobre a dimensão do desastre, as
vítimas, os culpados, a política ambiental, social, entre outros. Em fevereiro de
2019 outro rompimento de barragem, agora no município de Brumadinho, também em Minas Gerais, causou 270 mortes, sendo considerado o maior acidente de trabalho do Brasil. Diante de desastres reiterados e de uma série de faltas repetidas: falta de acesso à informação, falta de responsabilização, falta de gestão, falta de atenção aos anseios e sofrimentos da população atingida, cabe a pergunta: Como possibilitar que a informação sobre saúde seja mais acessível e alcance tanto a população atingida por desastres, quanto os gestores da área de saúde? Pode essa informação ser centralizada e utilizada para contribuir na tomada de decisão de gestores? Objetivo: A pesquisa discute a elaboração e desenvolvimento, bem como o uso e aplicação, do sistema de monitoramento de informação sobre desastres (SigDesastre) envolvendo rompimentos de barragens de mineração no Brasil, desde 2015, com foco nos dois desastres apresentados. Metodologia: A pesquisa, de caráter qualitativo e descritivo, é ancorada na ótica da coprodução do conhecimento de Sheila Jasanoff e na Ecologia de Saberes de Boaventura de Souza Santos. Resultados: Como resultados são apresentados o produto tecnológico SigDesastre, bem como quatro produções científicas. No primeiro há a descrição da criação do sistema SigDesastre, mostrando as quatro etapas de seu desenvolvimento que incluem a identificação das fontes a serem
monitoradas, um sistema de busca automatizado por palavras-chave nessas fontes pré-cadastradas e a visualização dos resultados em um ambiente amigável. No segundo estudo, discute-se o monitoramento de informação como estratégia de ampliação do acesso à informação relacionados aos desastres demonstrando, por meio do estudo de caso dos rompimentos, as dificuldades encontradas pela população atingida em relação ao acesso à informação e direito à comunicação e finaliza propondo o SigDesastre como uma plataforma que pode auxiliar atingidos e gestores no processo de comunicação de risco. No terceiro estudo, examina-se o uso e aplicação do mapeamento de fontes monitoradas pelo sistema analisando como o tema saúde é abordado em jornais de gêneros jornalísticos distintos, surgidos após o Rompimento da Barragem de Fundão, demonstrando que há diferença na forma de enunciação do desastre e distintas abordagens sobre o tema
saúde. E no quarto e último estudo é realizada a análise de fontes monitoradas
pelo SigDesastre a fim de comparar as diferenças e semelhanças no
gerenciamento do pós-desastre dos rompimentos em Mariana e em Brumadinho, sendo que a análise sugere que, embora houvesse particularidades na gestão pósdesastre, o objetivo final das corporações responsáveis pelos desastres sempre foi proteger seus lucros. Conclusão: Conclui-se destacando que, sistemas como o SigDesastre, se apresentam como uma potente ferramenta de gestão, podendo também ser encarada como uma plataforma virtual de boas práticas, além de ressaltar que uma segunda etapa de desenvolvimento do sistema que inclui os atingidos, unidos a investimentos financeiro e de recursos humanos é primordial para continuidade do produto apresentado.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105