QUALIDADE DE VIDA EM IDOSOS FREQUENTADORES DE CENTROS DE CONVIVÊNCIA DA TERCEIRA IDADE DO MUNICÍPIO DE VITÓRIA- ES

Nome: Elana Rodrigues Bortolon
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 22/05/2020
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Elizabete Regina Araújo de Oliveira Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Bruno Henrique Fiorin Suplente Externo
Elizabete Regina Araújo de Oliveira Orientador
Flávia Batista Portugal Suplente Interno
Margareth Attianezi Bracet Examinador Externo
Maria Helena Monteiro de Barros Miotto Coorientador
Thiago Nascimento do Prado Examinador Interno

Resumo: Objetivo: Analisar os fatores demográficos, socioeconômicos e de saúde
relacionados à qualidade de vida de idosos dos Centros de Convivência da Terceira
Idade. Método: Estudo analítico com delineamento transversal. Amostra final
composta por 400 usuários. Foram utilizados roteiros estruturados para coleta de
dados, incluindo os instrumentos WHOQOL-bref e WHOQOL-old. A análise
descritiva dos dados foi organizada em tabelas de frequência com número,
percentual, média e desvio padrão para cada um dos itens dos instrumentos da
pesquisa. A relação entre a qualidade de vida e as variáveis independentes foi
estabelecida através de Análise de Variância e Teste T de Student. O nível de
significância adotado para os testes foi de p < 0,05 (5%). O pacote estatístico IBM
SPSS 20 foi utilizado para essa análise. Resultados: As dimensões avaliadas
apresentaram o escore médio de 73,6, DP = 17,4 para qualidade de vida geral, que
abrange a autopercepção da qualidade de vida e a satisfação com a própria saúde.
O domínio psicológico obteve os maiores escores (75,5, DP = 13,4) e funcionamento
dos sentidos (82,8, DP = 17,4), enquanto os piores escores incidiram sobre o
domínio meio ambiente (68,1, DP = 13,9) e autonomia (69,6, DP = 15,9). As médias
mais altas sugerem melhor percepção de qualidade de vida. Evidencia-se que
idosos com até 11 anos de escolaridade e renda familiar de até 3 salários mínimos
apresentaram pior percepção da qualidade de vida, com diferença muito a
extremamente significante entre os grupos. Conclusão: Foi possível identificar
relação entre a qualidade de vida e as seguintes variáveis: raça/cor, escolaridade,
socioeconômica e de saúde.

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105