AVALIAÇÃO DO IMPACTO DE PROBLEMAS BUCAIS NA QUALIDADE DE VIDA DE IDOSOS DOS CENTROS DE CONVIVÊNCIA DA TERCEIRA IDADE DO MUNICÍPIO DE VITÓRIA - ES

Nome: Adriana Drummond de Aguiar
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 19/03/2020
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Maria Helena Monteiro de Barros Miotto Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Danielle Resende Camisasca Barroso Suplente Externo
Elizabete Regina Araújo de Oliveira Suplente Interno
Ludmilla Awad Barcellos Examinador Externo
Maria Helena Monteiro de Barros Miotto Orientador
Thiago Nascimento do Prado Examinador Interno

Resumo: Introdução: No Brasil vem ocorrendo um acelerado envelhecimento populacional, e
com isso vem crescendo a preocupação com a manutenção da qualidade de vida
das pessoas idosas, tornando-se assim um desafio para a saúde pública. Objetivos:
Identificar a associação entre perdas dentárias e variáveis sociodemográficas dos
idosos dos Centros de Convivência da Terceira Idade do município de Vitória – ES.
Busca também verificar associação entre impactos produzidos por condições bucais
e variáveis independentes na qualidade de vida desses idosos. Métodos: Estudo
analítico com delineamento transversal em amostra de 402 participantes, escolhidos
aleatoriamente. Para verificar o impacto das condições bucais, um dos roteiros
utilizados para coleta de dados foi o Oral Health Impact Profile na versão reduzida, o
OHIP-14. Foram conduzidas análises univariadas a partir do teste Qui-quadrado e
Exato de Fischer. O teste de Mantel-Haenzsel foi empregado para avaliar os efeitos
das dimensões combinadas e Odds-Ratio para avaliar a força da associação das
condições bucais na qualidade de vida ao nível de p 0,05, com intervalo de 95%
de confiança. Resultados: As variáveis que apresentaram associação com a perda
dentária foram: sexo feminino (p=0,024), idade acima de 70 anos (p=0,000), ter até
10 anos de escolaridade (p=0,000) e pertencer às classes C/D-E (p=0,000). A
prevalência do impacto geral observada foi de 32,6 %. Conclusões: Foi possível
identificar associação entre perdas dentárias e as seguintes variáveis
sociodemográficas: sexo, idade, escolaridade e condição socioeconômica. A maior
predição do impacto ocasionado por problemas bucais na qualidade de vida foi
encontrada em: mulheres, que possuem até 10 anos de estudo, que precisam de
prótese parcial removível e que não aceitaram a perda de dentes.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105