DIAGNÓSTICO SITUACIONAL E CONDIÇÃO DE SAÚDE: UM ESTUDO EM USUÁRIOS DE SERVIÇOS DE HEMODIÁLISE NO ESPÍRITO SANTO

Resumo: O avanço da ocorrência da Doença Renal Crônica (DRC) representa um importante problema de saúde pública. O Inquérito Brasileiro de Diálise estimou um total de 112.004 pacientes em diálise no ano de 2014, sendo que destes, 91% estavam em hemodiálise (HD). Estes dados apontam um crescimento de 20 mil pacientes dialíticos nos últimos quatro anos.
A mortalidade e a qualidade de vida dos pacientes com DRC estão intimamente relacionadas com o estado nutricional, sendo comum a estes pacientes a presença de alterações orgânicas, com complicações agudas, crônicas e nutricionais. A desnutrição, observada em 18 a 75% dos pacientes com DRC, representa um risco para estes pacientes, pois é retratada como o principal fator de risco para morbimortalidade, decréscimo da qualidade de vida, internações hospitalares, além de custos onerosos à saúde pública.
A evolução da doença pode acarretar ainda a ocorrência de diversas complicações, como a anemia, doença óssea metabólica e a acidose metabólica
Avaliar periodicamente o estado nutricional destes pacientes torna-se de fundamental importância a fim de detectar precocemente alterações do estado nutricional, suas causas e seu impacto na vida social e afetiva do usuário, contribuindo para uma rápida intervenção e permitindo evitar ou minimizar suas complicações. Haja vista que não existe um único método de avaliação nutricional ideal para identificar as complicações do estado nutricional, recomenda-se a utilização de métodos múltiplos, incluindo dados clínicos, antropométricos, bioquímicos e quantificação do consumo alimentar.
Mediante o exposto, observa-se o aspecto multifatorial da DRC em pacientes em HD, fatores estes que influenciam tanto no estado nutricional quanto na qualidade de vida destes usuários. Portanto, mostra-se a relevância de estudos que avaliem as condições de saúde destes usuários, favorecendo o desenvolvimento de estratégias terapêuticas, sobretudo para pacientes em risco nutricional, e proporcionando a realização de intervenções mais eficazes, a fim de reduzir complicações, morbimortalidade, internações e custos, além de serem importantes para que o sistema de saúde, a sociedade, a família e o próprio indivíduo, possam lidar com as dificuldades comuns que surgem com o avançar do tempo de tratamento.

Data de início: 2017-05-08
Prazo (meses): 48

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Aluno Doutorado Ana Cristina de Oliveira Soares
Aluno Doutorado Alexandre Cardoso da Cunha
Aluno Doutorado Pollyana Darós
Colaborador Monica Cattafesta
Coordenador Luciane Bresciani Salaroli

Páginas

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105