Prevalência de Síndrome Metabólica e fatores associados em Bancários-Vitória/ES

Resumo: A partir dos últimos anos da década de 1990 e neste início do século XXI, a prevenção para Doenças e Agravos Não transmissíveis (DANT), em especial das cardiovasculares, vem sendo preocupação de várias organizações internacionais. (WHO, 2003; NISSINEN et al., 2001). No Brasil, em 2001, as DANTs totalizaram 62% de todas as mortes, além de 39% de todas as hospitalizações registradas no Sistema Único de Saúde (SUS) (MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2004). Apesar da crescente valorização dos fatores pessoais, como sedentarismo, tabagismo e dieta, na determinação das doenças cardiovasculares, pouca atenção tem sido dada aos fatores de risco presentes na atividade ocupacional atual ou anterior dos pacientes. O aumento dramático da ocorrência de transtornos agudos e crônicos do sistema cardiocirculatório na população faz com que as relações das doenças com o trabalho mereçam maior atenção (MS, 2001). Nesse cenário, o Ministério da Saúde, através da portaria N.º 1.339/1999, reconhece a relação do trabalho como possível causadora de algumas doenças do sistema circulatório como hipertensão arterial, angina pectoris, infarto agudo do miocárdio, cor pulmonale, parada cardíaca, arritmias cardíacas, aterosclerose e doença aterosclerótica do coração e síndrome de Raynaud (MS, 2001). A Síndrome Metabólica caracteriza-se pela presença, concomitante, de dislipidemia, distúrbio da tolerância à glicose, hipertensão arterial, excesso de peso ou obesidade abdominal, além de outras anormalidades. Apesar da importância da SM no contexto das doenças metabólicas e cardiovasculares (MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2004), tanto a prevalência como as características epidemiológicas da SM ainda são pouco conhecidas em nossa população e em categorias profissionais. Deve-se, desta forma, destacar sua importância do ponto de vista epidemiológico, tendo em vista a elevada mortalidade cardiovascular presente em todos os países desenvolvidos e em países em desenvolvimento, como o Brasil (MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2004). A associação de SM e o desenvolvimento de DCV vem sendo alvo de pesquisadores em vários países. Assim sendo, este estudo visa determinar a prevalência de síndrome metabólica e fatores associados em funcionários do banco do estado do Espírito Santo.

Data de início: 2008-08-31
Prazo (meses): 126

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Coordenador Luciane Bresciani Salaroli
Coordenador Nazare Souza Bissoli
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105