Proposta de Sistematização da Assistência de Enfermagem ao Usuário de Crack: Desafios e Possibilidades

Nome: Kallen Dettmann Wandekoken
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 01/09/2011
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Marluce Mechelli de Siqueira Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Marluce Mechelli de Siqueira Orientador

Resumo: aumento do consumo de crack acarreta conseqüências devastadoras de ordem
biológica, psicológica e social, além de perda de vínculos e impactos para o
indivíduo, sua família e a comunidade. Diante disso, cabe à equipe de profissionais,
especialmente ao enfermeiro, uma abordagem sistematizada ao usuário de crack,
tornando necessário o uso das teorias de Enfermagem. Assim, o objetivo deste
estudo é propor uma estratégia de atenção para o usuário de crack, por meio da
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE), fundamentada no Modelo de
Sistemas de Betty Neuman. Trata-se de um estudo de caso, descritivo e exploratório
com abordagem qualitativa, realizado no Centro de Atenção Psicossocial - Álcool e
Drogas (CAPSad) de Vitória, tendo como sujeito um usuário de crack escolhido de
forma aleatória entre os 50 sujeitos de um estudo multicêntrico. A coleta de dados
foi realizada por um estudante de psicologia, com a participação da pesquisadora.
Foram aplicados o questionário do padrão de consumo de crack, a Escala de
Gravidade de Dependência - ASI6, o Mini Internacional Neuropsychiatric Interview -
MINI Plus e o Parental Bonding Instrument. Foi usada a terminologia NANDA-NICNOC
como base para relacionar diagnósticos, intervenções e resultados e procurouse,
à luz do Modelo, identificar as variáveis biológicas, psicológicas, socioculturais,
de desenvolvimento e espirituais. Resultados: possibilitou constatar a complexidade
que reveste as situações relativas aos estressores intra, inter e extrapessoais, sendo
a falta de conhecimento sobre o controle de uso das substâncias, o próprio uso de
crack e a situação como morador de rua alguns dos principais, dentre os 25
estressores identificados. Diante disso foram encontrados 15 diagnósticos e para
tais foram sugeridas intervenções considerando o ambiente interno, externo e o
ambiente criado do paciente, a partir das prevenções primária e secundária. Assim,
conclui-se que a atuação do enfermeiro frente aos estressores deve focar na
mobilização dos recursos de sistema tanto internos e externos para estabilização
e conservação da energia, de forma a fortalecer as linhas de resistência e impedir
que estas também sejam invadidas. A SAE, então, fundamentada em Neuman se
torna uma possibilidade e valiosa ferramenta, apesar dos desafios da temática.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105