A Influência dos
Determinantes de saúde no Uso de Bicos Artificiais no Aleitamento Materno
durante o Período Perinatal e Neonatal

Nome: Priscilla Guerra dos Santos
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 27/08/2021
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Elizabete Regina Araújo de Oliveira Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Edson Theodoro dos Santos Neto Suplente Interno
Elizabete Regina Araújo de Oliveira Orientador
Ludmilla Awad Barcellos Examinador Externo
Maria Helena Monteiro de Barros Miotto Coorientador
Raquel Baroni de Carvalho Examinador Interno
Wanêssa Lacerda Poton Suplente Externo

Resumo: Introdução: A Organização Mundial da Saúde recomenda que o aleitamento materno seja exclusivo nos primeiros 6 meses e contraindica o uso de bicos artificiais, por causar interferência sobre as práticas de aleitamento materno. O uso de bicos artificiais tem mostrado associação com diversos fatores, tais como: baixa escolaridade materna, idade materna inferior a 20 anos, trabalho materno fora do lar, primiparidade, parto cesáreo, baixo peso ao nascer, entre outros. Objetivo: Analisar a influência dos determinantes no uso de chupetas ou mamadeiras no período perinatal e neonatal de bebês nascidos em três maternidades do Espírito Santo. Metodologia: Trata-se de um estudo longitudinal, prospectivo realizado com 3429 mães de bebês nascidos vivos no período de Agosto de 2019 a Março de 2020. Para coleta de dados, foi aplicado um questionário sobre características socioeconômicas e materno-infantil, em três momentos: entrevista na maternidade e após 7 e 28 dias do nascimento. A relação entre o uso de chupeta ou mamadeira, e os dados relacionados à mãe e ao recém-nascido foi realizada através do teste qui-quadrado e o pacote estatístico utilizado foi o IBM SPSS 20. Resultados: Mães primíparas (OR= 1,424) apresentaram 42% mais chance dos seus filhos usarem chupeta no período neonatal. Em relação ao aleitamento exclusivo durante o período perinatal (OR=1,817), bebês que não estavam em aleitamento materno exclusivo, apresentaram 81% mais chance de usarem chupeta. Bebês nascidos através do parto cesárea (OR=1,651), tiveram 65% mais chance de usarem mamadeira no período perinatal e bebês até 2499 gramas (OR=1,566) tiveram 1,5 mais chance de usarem mamadeira durante o período neonatal. Conclusão: Pode-se observar que o uso de bicos artificiais, associou-se aos fatores e características maternas e do recém-nascido, como a renda familiar, tipo de parto realizado, primiparidade, sexo, peso do bebê e aleitamento materno exclusivo. Sendo assim, a compreensão dos determinantes associados ao uso de chupeta e mamadeira no período perinatal e neonatal, permite a adoção de estratégias para a prevenção e enfrentamento do desmame precoce, tanto por meio de ações individuais quanto coletivas.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105