Qualidade do Sistema de Informação e Notificação de Agravos de Lesão Autoprovocada na Região do Caparaó Capixaba: Interfaces da Prevenção do Suicídio

Nome: Mayara Aguiar Silva
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 02/07/2021
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Marluce Mechelli de Siqueira Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Camila Alves Bahia Suplente Externo
Daniela Reis e Silva Examinador Externo
Franciéle Marabotti Costa Leite Examinador Interno
Marcos Vinícius Ferreira dos Santos Coorientador
Maria Carmen Moldes Viana Suplente Interno
Marluce Mechelli de Siqueira Orientador

Resumo: Introdução: Complexo por natureza e de abrangente impacto social, o espectro suicida inclui comportamentos fatais e não fatais e uma série de terminologias relacionada a eles. Para o papel da vigilância a Organização Mundial de Saúde sugere ser adequado o uso dos temos automutilação ou tentativa de suicídio; no Brasil o sistema adotado emprega, similarmente, o termo lesão autoprovocada para os casos de violência provocada voluntariamente contra si mesmo, incluindo as tentativas de suicídio. A definição é inserida como registro obrigatório no país a partir de 2011, feito atualmente pela Ficha de Violência Interpessoal/Autoprovocada, inserida no banco correspondente no Sistema de Informação e Notificação de Agravo. Objetivo: avaliar a qualidade das notificações de lesão autoprovocada no período de 2011 a 2019 nos municípios da região administrativa do Caparaó - Espirito Santo, no que diz respeito à duplicidade, à completitude e à consistência dos dados. Metodologia: trata-se de um estudo transversal a partir de dados secundários colhidos nas Secretarias Municipais de Saúde. A amostra foi dividida em dois blocos: o Geral, composto por todos os casos de Violência e, o das Lesões, com aqueles classificados como autoprovocadas. Foi realizada a classificação da qualidade do atributo e a análise da correlação não linear de Spearman. O parâmetro adotado para classificação da completitude foi o de Romero e Cunha, e para duplicidade e consistência, o de Abath e colaboradores. Resultado: não foi detectada existência de duplicidade no sistema. A análise identificou que 37,50% das classificações de completitude entre os municípios foram regulares, ruins ou muito ruins para o período, enquanto que das 17 variáveis analisadas para consistência, 09 apresentaram alguma inconsistência no período investigado, com 15,87% destas classificadas como ruins ou regulares. A análise de correlação apontou que mais da metade das variáveis analisadas para completitude apresentaram aumento de campos incompletos com relação ao tempo, enquanto que dentre as que apresentaram inconsistências, 75% revelaram correlação de aumento da inconsistência com o tempo. Conclusão: os resultados de completitude e consistência estão abaixo do ideal considerado pelo Ministério da Saúde que afirma que para a qualidade de um sistema de informação é necessário o completo preenchimento da ficha e coerência entre os campos relacionados, de modo que o total dos dados possa gerar informações capazes de subsidiar estratégias de prevenção eficazes, com maior resolutividade nas respostas do sistema de saúde ao agravo em questão. Com os resultados espera-se colaborar para ressaltar a importância do investimento e aprimoramento contínuo do sistema de vigilância epidemiológica para a prevenção do comportamento suicida, além de resultar na produção desta dissertação de mestrado e em artigos científicos, colaborando na ampliação do debate junto à comunidade acadêmica e em geral.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105