O parto na TV: um estudo a partir de um programa de jornalismo utilitário sobre saúde

Nome: Maiúmy Huélida Gomes Odashima
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 28/06/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Adauto Emmerich Oliveira Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Adauto Emmerich Oliveira Orientador
Aline Guio Cavaca Coorientador
Carolina Dutra Degli Esposti Suplente Externo
Edson Theodoro dos Santos Neto Examinador Interno
José Edgard Rebouças Examinador Externo
Túlio Alberto Martins de Figueiredo Suplente Interno

Resumo: O campo da Comunicação e Saúde é um campo desafiador, pois ao cruzar
conceitos da Comunicação com conceitos da área da Saúde cria-se a
necessidade de um diálogo entre especialistas de ambos os lados, a fim de
convergirem para o estudo de um campo com muitas potencialidades.
O trabalho apresentado nesta Dissertação analisou os vídeos relacionados ao
parto veiculados pela mídia televisiva, nos anos de 2011 a 2016. O resultado
da pesquisa é apresentado na forma de artigo que se trata de um estudo
qualitativo cujo objetivo foi analisar como o parto é representado no programa
Bem-Estar, um programa de jornalismo utilitário que aborda, especificamente,
temas sobre saúde. A fim de verificar como a mídia tem discutido o tema e as
questões que o permeiam, a discussão foi baseada na crítica à sociedade
medicalizada que Ivan Illich faz em seu livro Nêmesis da medicina: a
expropriação da saúde. Foi realizada uma Análise de Conteúdo do material
empírico, dando origem a cinco categorias: o parto como mercadoria; a
normalização da cesárea como modo de nascer; o efeito contraprodutivo das
cesáreas; a alienação da dor e em busca da autonomia. A partir destas
categorias foi realizada uma discussão sobre a medicalização do parto na
sociedade moderna e suas consequências a nível individual e social.
Concluiu-se que o cenário atual das práticas obstétricas é resultado de uma
superprodução heterônoma médica que leva a uma e medicalização
exacerbada a partir de uma classificação iatrogênica das etapas da vida. O
excesso de tecnologias no manejo do parto apresenta consequências que
perpassam fatores econômicos sociais e de saúde e que devem ser discutidos
abertamente com a sociedade. Uma Comunicação efetiva e adequada acerca
do assunto é fundamental para a recuperação do exercício da autonomia das
mulheres em relação ao seu corpo e seus processos vitais.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105