DIAGNÓSTICO SITUACIONAL E CONDIÇÃO DE SAÚDE: UM ESTUDO EM USUÁRIOS DE SERVIÇOS DE HEMODIÁLISE NO ESPÍRITO SANTO

Resumo: O avanço da ocorrência da Doença Renal Crônica (DRC) representa um importante problema de saúde pública. O Inquérito Brasileiro de Diálise estimou um total de 112.004 pacientes em diálise no ano de 2014, sendo que destes, 91% estavam em hemodiálise (HD). Estes dados apontam um crescimento de 20 mil pacientes dialíticos nos últimos quatro anos.
A mortalidade e a qualidade de vida dos pacientes com DRC estão intimamente relacionadas com o estado nutricional, sendo comum a estes pacientes a presença de alterações orgânicas, com complicações agudas, crônicas e nutricionais. A desnutrição, observada em 18 a 75% dos pacientes com DRC, representa um risco para estes pacientes, pois é retratada como o principal fator de risco para morbimortalidade, decréscimo da qualidade de vida, internações hospitalares, além de custos onerosos à saúde pública.
A evolução da doença pode acarretar ainda a ocorrência de diversas complicações, como a anemia, doença óssea metabólica e a acidose metabólica
Avaliar periodicamente o estado nutricional destes pacientes torna-se de fundamental importância a fim de detectar precocemente alterações do estado nutricional, suas causas e seu impacto na vida social e afetiva do usuário, contribuindo para uma rápida intervenção e permitindo evitar ou minimizar suas complicações. Haja vista que não existe um único método de avaliação nutricional ideal para identificar as complicações do estado nutricional, recomenda-se a utilização de métodos múltiplos, incluindo dados clínicos, antropométricos, bioquímicos e quantificação do consumo alimentar.
Mediante o exposto, observa-se o aspecto multifatorial da DRC em pacientes em HD, fatores estes que influenciam tanto no estado nutricional quanto na qualidade de vida destes usuários. Portanto, mostra-se a relevância de estudos que avaliem as condições de saúde destes usuários, favorecendo o desenvolvimento de estratégias terapêuticas, sobretudo para pacientes em risco nutricional, e proporcionando a realização de intervenções mais eficazes, a fim de reduzir complicações, morbimortalidade, internações e custos, além de serem importantes para que o sistema de saúde, a sociedade, a família e o próprio indivíduo, possam lidar com as dificuldades comuns que surgem com o avançar do tempo de tratamento.

Data de início: 2017-05-08
Prazo (meses): 48

Participantes:

Papel Nomeordem decrescente
Aluno Doutorado Alexandre Cardoso da Cunha
Aluno Doutorado Ana Cristina de Oliveira Soares
Pesquisador Edson Theodoro dos Santos Neto
Pesquisador Fabíola Lacerda Pires Soares
Coordenador Luciane Bresciani Salaroli

Páginas

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105