Qualidade de Vida e Sobrecarga do Cuidador Familiar de Mulheres em Tratamento do Cancêr de Mama

Nome: Sônya Cristina Plácido dos Santos
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 16/07/2014
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Maria Helena Costa Amorim Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Denise Silveira de Castro Examinador Externo
Eliana Zandonade Examinador Interno
Karla de Melo Batista Suplente Externo
Maria Helena Costa Amorim Orientador
Maria Helena Monteiro de Barros Miotto Suplente Interno

Resumo: A vivência da doença oncológica proporciona sofrimento tanto no paciente quanto no membro da família responsável pelo cuidado. Objetivos: Avaliar a Qualidade de Vida do Cuidador Familiar das mulheres em tratamento do câncer de mama e verificar sua associação com dados sociodemográficos do cuidador e os dados clínicos das mulheres; avaliar a sobrecarga do Cuidador Familiar e examinar a sua relação com a qualidade de vida. Metodologia: Trata-se de um estudo observacional realizado no Hospital Santa Rita de Cássia (HSRC), cuja amostra foi composta de 62 cuidadores familiares. Coletaram-se variáveis sociodemográficas através da técnica de entrevista com registro em formulário; utilizou-se o questionário SF-36 (Study36Item Short-Form Health Survey) para avaliação da Qualidade de Vida e a escala Zarit Burden Interview (ZBI) para mensurar a sobrecarga. Utilizou-se o teste Kruskall Wallis para verificar associação dos escores de Qualidade de Vida com as variáveis estudadas, o teste qui-quadrado para avaliar a associação das variáveis com a presença de sobrecarga no cuidador e o teste Mann-Whitney para verificar a relação entre a presença de sobrecarga e os escores de Qualidade de Vida. Resultados: Houve predomínio de cuidadores do sexo feminino, filhas (os), estado civil casado, com faixa etária entre 46 a 55 anos. Encontrou-se significância estatística (p<0,05): entre o sexo feminino e os domínios Capacidade Funcional, Vitalidade, Aspectos Sociais e Saúde Mental; entre a faixa etária e o domínio Aspectos Físicos; entre religião e os domínios Capacidade Funcional e Estado Geral de Saúde; entre o local de procedência e os domínios Dor e Vitalidade; entre a renda familiar e o domínio Aspectos Emocionais; entre a ocupação e os domínios Capacidade Funcional, Vitalidade e Saúde Mental. Dentre os cuidadores, 37,1% apresentaram sobrecarga moderada à severa. Constatou-se uma diferença estatisticamente significante entre os cuidadores com e sem sobrecarga em todas as dimensões do instrumento de Qualidade de Vida. Conclusão: A Qualidade de Vida do Cuidador Familiar das mulheres em tratamento do câncer de mama é influenciada por fatores sociodemográficos e pela sobrecarga. Tais resultados contribuem para que se fortaleçam as ações voltadas para os cuidadores familiares, uma vez que essa população carece de orientações e acompanhamento profissional domiciliar adequado.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105