IMPROVISANDO A GESTÃO POR MEIO DA GESTÃO DO IMPROVISO: O PROCESSO DE TRABALHO DOS GESTORES DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

Nome: Denilda Littike
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 12/07/2012
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Francis Sodré Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Francis Sodré Orientador

Resumo: Esta pesquisa teve por objetivo analisar o processo de trabalho dos gestores de
Divisão do HUCAM. Especificamente compreender o trabalho dos gestores e a
relação com a sua saúde, e identificar se na função de gestor apresentaram algum
adoecimento que eles relacionem com esse trabalho. Apoiou-se no conceito de
processo de trabalho de Karl Marx. Reconheceu-se que o trabalho opera
transformações no objeto de trabalho e no trabalhador. No contexto hospitalar a
atividade de um trabalhador deve organizar-se junto ao trabalho de muitos outros. A
fim de alcançar os objetivos propostos foram realizadas 12 entrevistas individuais
com os gestores de Divisão, entre setembro e outubro de 2011. Como instrumento
de pesquisa foi utilizado um roteiro semi-estruturado, e a análise dos depoimentos
foi feita qualitativamente. Neste estudo foi observada a conduta ética em pesquisa.
Os resultados demonstraram que o objeto de trabalho dos gestores são as questões
organizacionais. Para realizarem suas atividades eles utilizam principalmente o seu
saber e o memorando. O planejamento, como ferramenta de gestão, raramente tem
sido utilizado. Os sujeitos deste estudo não têm uma rotina de trabalho definida.
Identificou-se que suas agendas estão sempre abarrotas por diversos conflitos que
emergem na instituição. O seu processo de trabalho tem sido moldado pela
organização do trabalho deste HUF. O organograma do HUCAM demonstra uma
estrutura administrativa piramidal cujos Serviços são separados por áreas, e cada
nível hierárquico tem o seu gestor. Contudo, na prática, os trabalhadores resistem
em submeter-se a esse modelo organizacional. Foram identificados ruídos na
comunicação e conflitos entre os três níveis hierárquicos. Não foram identificados
espaços coletivos de negociação permanente entre gestores de Divisão e os
Diretores deste HUF. Prima-se por uma prática de gestão fragmentada e
improvisada, sem análise política das decisões tomadas. Ressalta-se que gestão é
atribuição coletiva. Apreendemos que a árdua tarefa de contribuir para manter o
HUCAM em funcionamento, a qual toma contornos de uma luta contra a morte do
próprio hospital, faz emergir nos sujeitos deste estudo um sentimento de frustração e
descrédito com projetos de mudança para melhor na gestão do HUCAM. Contudo,
percebeu-se que exercer a função de gestor em um HUF também constitui-se uma
fonte de sentidos de realização e prazer para o trabalhador-gestor. Entende-se que
isto contribui para eles continuarem no exercício desta atividade, embora tenha
sobressaído nos depoimentos o discurso da desmotivação. Ao final, conclui-se que a
organização do trabalho e o processo de trabalho dos gestores de Divisão influencia
a sua saúde, tendo em vista os sintomas: aumento da pressão arterial, cansaço
mental, cefaléia, entre outros, por eles relatados como decorrentes do trabalho na
gestão. Aponta-se a necessidade de mais pesquisas a cerca do trabalho dos
gestores, e do plano de produção dos HUFs.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105