Avaliação da Postura Corporal em mulheres com câncer de mama

Nome: Juliana de Assis Novais Barbosa
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 30/05/2012
Orientador:

Nomeordem crescente Papel
Maria Helena Costa Amorim Orientador

Banca:

Nomeordem crescente Papel
Maria Helena Costa Amorim Orientador

Resumo: O tratamento do câncer de mama pode acarretar algumas complicações físicas e funcionais, sendo incipientes os estudos das modificações na postura corporal dessas mulheres. Objetivo: Aplicar o protocolo de Rotina Postural Biofotogramétrica (RPB) para avaliar a postura corporal de mulheres submetidas ao tratamento por câncer de mama; identificar alterações posturais comparando com a postura de mulheres sem câncer de mama e verificar o comportamento biomecânico dos ângulos medidos no plano frontal anterior e posterior. Metodologia: Estudo descritivo longitudinal, realizado em um hospital de referência para o tratamento do câncer em Vitória/Espírito Santo, autorizado pelo Comitê de Ética da UFES. A amostra foi constituída por 78 mulheres (casos e controle), sendo 39 com câncer de mama e 39 sem diagnóstico de câncer de mama. A avaliação postural foi realizada através da Biofotogrametria antes da cirurgia (PRE), após a retirada do dreno (PO1) e três meses depois da cirurgia (PO2). Realizou-se análise multivariada fatorial para agrupar os ângulos medidos e verificar o comportamento biomecânico dos mesmos. Buscou-se examinar a correlação entre os ângulos posturais medidos com as variáveis: idade, tipo de cirurgia e o lado da cirurgia. O programa utilizado para análise foi o SPSS 18.0 e o nível de significância adotado de 5%. Resultados: Houve predomínio da cirurgia tipo quadrantectomia (51,2%) e o lado esquerdo foi o mais acometido (61,5%). A pelve e o tronco das mulheres quadrantectomizadas apresentou maior alinhamento comparados às mastectomizadas nos momentos PO1 e PO2 respectivamente. Mulheres que fizeram cirurgia na mama esquerda tiveram ombro mais elevado e o tronco se inclinou para o lado homolateral à cirurgia. A postura corporal das mulheres com e sem diagnóstico de câncer de mama foi semelhante. A análise multivariada dos ângulos foi realizada nos dois grupos (78 mulheres) e permitiu criar quatro dimensões em que a força de associação entre alguns ângulos mostrou um padrão de comportamento biomecânico previsível. Conclusão: As alterações posturais ocorreram principalmente nas mulheres mastectomizadas, apontando a importância da atuação precoce do Fisioterapeuta objetivando minimizar problemas musculoesqueléticos futuros. Outros estudos são necessários para esclarecer as modificações posturais em longo prazo e seus impactos na vida da mulher.
Descritores: Neoplasias da mama, Fotogrametria, Postura, Biomecânica.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105