O PROFISSIONAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA NO SERVIÇO DE ORIENTAÇÃO AO EXERCÍCIO: FLUXOS RIZOMÁTICOS

Nome: Marcos Rafael de Jesus Gama
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 31/08/2020
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Túlio Alberto Martins de Figueiredo Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Eliana Zandonade Examinador Interno
Jandesson Mendes Coqueiro Examinador Externo
Thiago Dias Sarti Suplente Interno
Túlio Alberto Martins de Figueiredo Orientador
Victor José Machado de Oliveira Suplente Externo

Resumo: Trata-se de uma dissertação de mestrado com abordagem quanti-qualitativa que
teve como objetivo analisar a relevância dada pela mídia impressa capixaba ao
Serviço de Orientação ao Exercício, e a percepção dos profissionais de
Educação Física enquanto agentes responsáveis por fazer o serviço funcionar.
Foi utilizado o referencial teórico-metodológico da Análise Institucional, em sua
vertente Socioanalítica. Os instrumentos e produção do material se deram a
partir da coleta de dados em dois jornais de grande circulação no estado, e uma
entrevista com os profissionais. O estudo foi dividido em duas etapas, sendo que
a primeira consistiu em analisar de que forma as os jornais impressos abordaram
o Serviço de Orientação ao Exercício entre os anos de 2014 a 2018. Na parte
quantitativa buscou-se verificar a quantidade de matérias, os meses e em quais
anos as matérias foram publicadas através de uma análise da variável
quantitativa discreta. A segunda etapa consistiu em uma entrevista
semiestruturada com doze profissionais de Educação Física, que atuam no
serviço de Orientação ao Exercício. Os resultados e discussões foram
apresentados em forma de dois artigos, percebendo-se a partir daí que a mídia
impressa capixaba não deu o espaço esperado para uma política pública
importante no município de vitória, na concepção da Análise Institucional dois
analisadores tiveram notoriedade, o exercício como melhoria da saúde e o
exercício como atividade sazonal ocorrendo com mais frequência nos meses de
novembro a janeiro, além da percepção de ser o profissional de Educação Física
o principal interlocutor do Serviço. As entrevistas feitas com os profissionais
demonstraram que o profissional de Educação física é o principal agente no
serviço, e que existem formas de tratamento diferentes entre os serviços
dependendo da localização de cada módulo na cidade, estando estes na
periferia ou na orla, e portanto caberia uma intervenção auto-analítica e de
autogestão entre os profissionais e a prefeitura, com o objetivo de melhorar ainda
mais essa política pública já reconhecida nacionalmente por tudo que fez e faz
no cuidado com a saúde dos capixabas.

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105