VIOLÊNCIA FÍSICA E FATORES ASSOCIADOS EM
PARTICIPANTES DA PESQUISA NACIONAL DE SAÚDE DO

ESCOLAR (PENSE)

Nome: Juliana Souza Romeiro
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 16/01/2019
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Nagela Valadão Cade Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Nagela Valadão Cade Orientador

Resumo: A adolescência é uma etapa complexa do ciclo evolutivo e fatores
individuais, relacionais, comunitários e sociais podem influenciar no desenvolvimento
da violência, nessa fase de vida. Objetivo: Investigar o comportamento de violência
física em escolares brasileiros e os fatores relacionados. Material e Método: Estudo
seccional com os dados da Pesquisa Nacional de Saúde Escolar (PeNSE), 2015, com
alunos do 9o ano. O desfecho foi o relato de envolvimento em briga do tipo luta física
em 12 meses e as variáveis de exposição foram relacionadas a condição
socioeconômica, demográfica, ambiente inseguro, comportamentos individuais,
saúde mental, supervisão e apoio familiar. Para a análise dos dados foi utilizada a
regressão logística multivariada com abordagem hierarquizada. Resultados: A
prevalência de envolvimento em briga foi de 23,3%, maior em meninos 30,2% (IC 29,3
– 31,0) e 16,7% (IC 16,0 – 17,4) em meninas. Em meninos aumentaram a chance de
envolvimento em briga a agressão familiar OR 2,59 (2,31-2,90), consumo de álcool
OR 2,49 (2,23-2,78), insegurança na escola OR 1,68 (1,41-2,00), drogas ilícitas OR
1,55 (1,26-1,90), escola privada OR 1,52 (1,35-1,72), fumo OR 1,43 (1,16-1,72),
sedentarismo OR 1,35 (1,24-1,48), falta as aulas OR 1,31 (1,18-1,46), insônia OR 1,27
(1,15-1,35), insegurança no trajeto casa-escola OR 1,24 (1,07-1,43) e solidão OR 1,24
(1,04-1,22). Estar trabalhando reduziu em 24% a chance de briga. Em meninas foram
associados as brigas o consumo de álcool OR 2,82 (2,44-3,26), agressão familiar OR
2,42 (2,17-2,71), fumo OR 2,15 (1,75-2,65), drogas ilícitas OR 1,70 (1,32-2,19),
insegurança no trajeto casa-escola OR 1,48 (1,27-1,72), insônia OR 1,42 (1,27-1,59),
sedentarismo OR 1,33 (1,17-1,50), falta as aulas OR 1,31 (1,16-1,49), insegurança na
escola OR 1,29 (1,09-1,54) e solidão OR 1,13 (1,01-1,26). Reduziu em até 19% a
chance de briga quando percepção de estarem recebendo apoio dos pais e estudar
em escola privada OR 0,78 (0,69-0,89). Conclusão: Contribuíram para violência a
agressão familiar, a insegurança na comunidade e na escola, comportamentos como
consumo de drogas e falta as aulas e o comprometimento da saúde mental.
Reduziram a chance de violência, estar trabalhando nos meninos e o apoio dos pais
e estar em escola privada em meninas.

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105