Epidemiologia das Perdas dentárias

Resumo: A alta incidência de perdas dentárias é uma realidade que o a população enfrenta apesar da constante evolução da Odontologia durante os anos, sendo fruto de uma política de saúde pública ineficiente no combate as doenças da cavidade bucal. No Brasil, as perdas dentárias provocadas por doenças evitáveis são muito elevadas, sendo que a cárie e a periodontia correspondem as principais causa da perda dentária. Tal problemática representa uma marca da desigualdade social, sendo de conhecimento que quanto menor a renda e a escolaridade, maiores são as perdas dentárias. É notório que as alterações decorrentes da perda do elemento dentário promovam uma série de repercussões negativas como alterações estéticas, mastigatórias, fonatórias e nos estados psicológicos. As próteses dentárias retratam uma possibilidade de melhora das funções associadas ao aparelho dentário, além de promover o restabelecimento da estética. Atualmente tem-se observado uma grande preocupação em se avaliar o impacto da perda dentária e da utilização de próteses na qualidade de vida das pessoas. Estudos mostram que as expectativas centram-se ao retorno do padrão social aceito. Sendo assim, este estudo pretende analisar as causas da perda dentária e a influência na qualidade de vida, assim como as expectativas quanto à reposição protética de pacientes atendidos nas clínicas da Universidade Federal do Espírito Santo e na seção Espírito Santo da Associação Brasileira de Odontologia.

Data de início: 2017-05-16
Prazo (meses): 18

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Aluno Mestrado Amanda de Freitas Guaitolini
Aluno Mestrado Ramon Patrick Oliveira Rocha
Coordenador MARIA HELENA MONTEIRO DE BARROS MIOTTO
Pesquisador DENISE MARIA KROEFF DE SOUZA CAMPOS
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105