Avaliação dos conhecimentos dos acadêmicos de odontologia da UFES sobre os fluoretos.

Resumo: No início do século XXI, o Brasil registrou um quadro epidemiológico bucal que se caracterizou pela diminuição na prevalência e gravidade da cárie dentária em crianças e adolescentes. Parte desse grande avanço deve-se a medidas de saúde bucal adotadas em escala populacional, em especial aquelas com base no uso seguro de fluoretos. Apesar de se caracterizar como uma medida populacional de saúde pública, ainda se pensava que o principal efeito preventivo do fluoreto era decorrente da sua ingestão durante a formação do esmalte dentário, tornando-o mais resistente ao ataque de cárie. Hoje, já é de conhecimento que o efeito anticárie do fluoreto depende essencialmente de sua presença constante no ambiente bucal. A difusão do uso de fluoretos, no Brasil e no mundo, se deu em suas diversas formas, no entanto, as principais delas são a água fluoretada e os dentifrícios fluoretados. Os outros meios de utilização dos fluoretos, apesar de relevantes, não tem tamanha eficiência, como é o caso dos bochechos, géis, vernizes, etc. Trata-se de um estudo analítico observacional transversal, com o objetivo de avaliar os conhecimentos dos acadêmicos de odontologia da UFES quanto ao mecanismo de ação do flúor e a indicação correta de cada apresentação.

Data de início: 2016-05-04
Prazo (meses): 18

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Aluno Mestrado Bruna Venturin Lorencini
Coordenador MARIA HELENA MONTEIRO DE BARROS MIOTTO
Vice-Coordenador Danielle Resende Camisasca Barroso
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105