A PROMOÇÃO DA SÁUDE E A PREVENÇÃO DE DOENÇAS COMO DISPOSITIVOS DE MUDANÇAS NAS PRÁTICAS DE CUIDADO NA SAÚDE SUPLEMENTAR NO ESPÍRITO SANTO

Nome: Talita Dourado Schwartz
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 07/12/2009
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Rita de Cássia Duarte Lima Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Ethel Leonor Noia Maciel Examinador Interno
Rita de Cássia Duarte Lima Orientador
Túlio Batista Franco Examinador Externo

Resumo: Resumo 1:

O Sistema Suplementar de Saúde e o Sistema Único de Saúde (SUS) estão interligados e interdependentes. Quando esses sistemas seguem na mesma direção, há uma colaboração produtiva no que se refere a políticas públicas e mecanismos racionais de incorporação de tecnologia. A promoção e a prevenção há muito estão em pauta no SUS, evidenciando a necessidade do aprofundamento de como essas ações se estruturam na saúde suplementar. Esta pesquisa é um estudo de caso que privilegia a abordagem qualitativa e objetiva analisar o modo como se produz a atenção dos programas de promoção da saúde e prevenção de doenças em uma empresa de Autogestão, observando se esses atos estão sendo operados como dispositivos biopolíticos. Utiliza os discursos dos trabalhadores de saúde dos programas, coletados a partir de roteiros semiestruturados e desvendados na técnica de análise de conteúdo. Nos resultados é mostrada a organização do processo de trabalho e como o programa se estrutura com ações integrais e forte adesão dos profissionais a esse modelo. As ações dos programas têm atuado como dispositivos biopolíticos, ditando formas de viver. Esses dispositivos biopolíticos, quando exercidos de maneira coerente, contribuem para a autonomia dos indivíduos e para a racionalização de custos da operadora.

Resumo 2:
As ações de promoção da saúde e prevenção de doenças emergem na pauta da saúde suplementar decorrentes, sobretudo, dos elevados custos gerados pelo modelo assistencial vigente no setor, evidenciando a necessidade dessas ações serem comandadas por um processo de trabalho cuidador, e que evite a fragmentação do cuidado. Esta pesquisa é um estudo de caso que privilegia a abordagem qualitativa, com o objetivo de analisar o modo como se produz a atenção dos programas de promoção da saúde e prevenção de doenças em uma empresa na modalidade Medicina de Grupo, observando se esses atos estão atuando como dispositivos biopolíticos. Utiliza os discursos dos trabalhadores de saúde inseridos nos programas e de um beneficiário que para os objetivos deste estudo se produziu como caso traçador. Os dados foram coletados a partir de roteiros semiestruturados, gravados em voz e utilizou-se a técnica de análise de conteúdo. Os resultados mostram a organização do processo de trabalho, no qual os associados são diferenciados de acordo com o agravo. Esta proposta observou movimentos, mesmo ainda limitados, de novas formas de produzir saúde, prevalecendo o modelo médico hegemônico guiado pelas regras de mercado, com ações predominantemente disciplinares e focadas na comunicação em saúde.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105