Hanseníase: um Estudo Caso Controle.

Nome: Andréia Soprani dos Santos
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 14/09/2007
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Aloísio Falqueto Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Aloísio Falqueto Orientador
Denise Silveira de Castro Examinador Interno
Maria Leide Wand Del Rey de Oliveira Examinador Externo

Resumo: A hanseníase no Brasil constitui um problema de saúde pública, a considerar pelo
alto grau de endemicidade da doença em muitos estados brasileiros. O estado do
Espírito Santo (ES) apresenta taxas consideráveis de detecção e prevalência da
doença, razão pela qual tem direcionado esforços para a eliminação do agravo. O
presente estudo objetiva identificar fatores individuais de risco relacionados à
transmissão da hanseníase em município endêmico no interior do ES. Desenvolveuse
um estudo de caso-controle, sendo o grupo caso representado por casos novos
de hanseníase notificados no SINAN entre os anos de 2003 e 2006 e o grupo
controle composto por indivíduos sadios moradores vizinhos dos casos, pareados
por sexo e faixa etária. As informações do estudo foram obtidas por meio de
entrevista oral em resposta a um questionário com perguntas aberta e fechadas,
aplicado na própria residência dos participantes. Noventa pacientes e 270 controles
foram entrevistados. A idade variou entre 6 e 84 anos, com média de 42,8 anos. O
tamanho médio da residência ficou em torno de 52,8 m2. O valor médio para o
consumo de bebida alcoólica foi de 48,3 ml/semana e para o tabaco foi de 13,7
cigarros/dia. Na atividade laboral, 93 (25,8%) eram domésticas, 79 (21,9%)
lavradores, 51 (14,2%) aposentados e 15 (4,2%) braçais. Houve associação
significativa entre a ocorrência da doença e a presença atual de hanseníase entre
parentes co-sangüíneos (OR= 2,9), bem como o relato de casos antigos de
hanseníase entre parentes co-sangüíneos (OR=5,0). Considerando a complexidade
da epidemiologia da hanseníase e o longo período de incubação da doença sugerese
a realização de novos estudos com intuito de identificar fatores de risco
associados à transmissão da doença. Sabendo-se que o exame único dos contatos
no ato do diagnóstico detecta uma parcela mínima dos novos casos, propõe-se, com
base nos resultados do presente estudo, a realização de exames periódicos dos
indivíduos com parentes hansenianos, para detectar os casos que surgirão nos anos
subseqüentes ao contato.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105