Importância Vetorial das Espécies de Anofelinos (díptera: Culicidae) na Transmissão de Malária e Estudo dos Fatores Geoclimáticos Determinantes de Sua Distribuição Geográfica no Estado do Espírito Santo.

Nome: Viviane Coutinho Meneguzzi
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 05/06/2006

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Aloísio Falqueto Orientador
Leandro Roberto Feitoza Examinador Externo
Ricardo Lourenço de Oliveira Examinador Externo

Resumo: O presente estudo se propõe a verificar a importância vetorial das espécies de
anofelinos (Díptera: Culicidae) na transmissão de malária e os fatores geoclimáticos
determinantes de sua distribuição geográfica no ES. O universo do estudo são as
localidades do estado. Na 1ª fase do trabalho estudou-se a fauna de anofelinos nas
localidades que apresentaram focos de malária autóctone nos últimos vinte anos, e
as que não apresentaram focos da doença. Coletas dos insetos foram realizadas de
1997 a 2005 em 297 localidades rurais. Na 2ª fase, comparou-se a fauna de
anofelinos na localidade córrego Jurama, Vila Valério, onde ocorreram casos
importados e introduzidos nos últimos cinco anos e córrego Timbuizinho, Colatina,
onde houve casos importados sem a ocorrência de casos introduzidos. Nesta fase,
foram realizadas seis coletas pareadas quinzenais no período de novembro de 2005
a fevereiro de 2006. Os anofelinos foram coletados em domicílio e abrigo de animais
domésticos, nas quatro primeiras horas após o crepúsculo vespertino. Na 1ª fase
utilizou-se a análise univariada na associação entre focos da doença, características
geoclimáticas e presença das diferentes espécies do vetor. A análise multivariada foi
empregada para definir o papel de cada espécie na transmissão da malária. Na 2ª
fase comparou-se a freqüência anofélica nas duas localidades selecionadas.
Durante a 1ª fase foram capturados 14.663 anofelinos, pertencentes a 23 espécies.
A análise univariada mostrou associação significativa entre a ocorrência de focos de
malária e a presença de zona de terras quentes, relevo plano, subzona sob
influência marinha (?2 = 16,979; p=0,000); zona de terras quentes, de relevo plano,
subzona sem influência marinha (?2 = 30,403; p=0,000) e zona de terras quentes,
relevo suave ondulado a ondulado (?2 = 18,275; p = 0,000). Em relação aos vetores,
verificou-se uma associação da ocorrência da doença com a presença das espécies
A. darlingi, A. aquasalis, A. albitarsis, A. triannulatus e A. galvaoi. Após a análise
multivariada, permaneceram significativas as espécies A. darlingi e A. aquasalis. Na
2ª etapa do trabalho, foram coletadas 283 espécimes, sendo 85 em Timbuizinho e
198 em Jurama. A análise estatística não mostrou associação entre a freqüência
anofélica nas duas localidades estudadas. Essas informações fornecem subsídios
necessários à implantação de medidas de promoção e proteção à saúde das
populações expostas, na medida em que definem as áreas de risco para ocorrência
de focos de malária.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105