Organização do Trabalho e Desgaste da Saúde no Serviço Público Federal: o Caso do Setor de Benefícios da Agência da Previdência Social de Vitória-es.

Nome: Marli Brígida dos Reis
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 11/08/2006

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Alacir Ramos da Silva Examinador Interno
Álvaro Roberto Crespo Merlo Examinador Externo
Luiz Henrique Borges Orientador

Resumo: Este estudo busca dar visibilidade à problemática da Saúde do Trabalhador no
Serviço Público Federal, em especial na Agência da Previdência Social (APS) de
Vitória, Espírito Santo. Baseado no marco conceitual da Saúde do Trabalhador, que
considera que o processo saúde-doença dos trabalhadores somente pode ser
abordado a partir da compreensão de sua inserção em processos de trabalho
específicos, os objetivos foram: descrever e analisar o processo e a organização do
trabalho no Setor de Benefícios da APS-Vitória; identificar as principais cargas
presentes no processo de trabalho deste setor e analisar as relações entre a
organização do trabalho e as formas de desgaste à saúde de seus trabalhadores.
Foi realizada uma pesquisa exploratória de abordagem qualitativa, através de um
estudo do caso do Setor de Benefícios da APS-Vitória, que constitui o setor
considerado como o que realiza a missão da instituição. A coleta de dados foi
realizada nos meses de março e abril de 2006, através de entrevistas coletivas,
realização do mapa de cargas de trabalho e validação consensual. As entrevistas
coletivas foram orientadas por um roteiro semi-estruturado, gravadas e transcritas
para posterior análise. Houve a participação de cerca de 30 trabalhadores, dos 41
que exerciam funções administrativas neste setor. Além disso, houve uma entrevista
com a chefe do Setor de Benefícios da agência, para obter informações sobre a
forma como o trabalho é organizado, do ponto de vista gerencial. O processo de
trabalho do Setor de Benefícios é organizado em: recepção e triagem; serviço de
orientação e informação; atendimento especializado e retaguarda. Foram
identificados todos os tipos de cargas de trabalho, sendo as principais as agrupadas
como psíquicas (causadoras de estresse), seguidas das orgânicas e das
provocadoras de acidentes. Na representação do desgaste decorrente das cargas,
sobressaem-se aquelas decorrentes das cargas psíquicas, fisiológicas e de
acidentes, encontradas na totalidade do corpo do trabalhador. Identificou-se a
suspeita de síndrome do burnout, que caracteriza o esgotamento físico e emocional
decorrente da sobrecarga de trabalho e do atendimento ao público, ao qual seguese
o ceticismo com a possibilidade de mudanças. Os resultados revelam o impacto
da gestão burocrático-gerencial sobre a relação saúde-trabalho dos trabalhadores
servidores públicos da APS-Vitória, que se acentua com a legislação insuficiente
para a proteção da saúde destes trabalhadores.

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105