Viajantes em Busca de Saídas: o Grupo de Movimento Com uma Possível Rota Terapêutica para Usuários de Álcool e Outras Drogas.

Nome: Scheila Silva Rasch
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 01/07/2005

Banca:

Nomeordem crescente Papel
Marluce Mechelli de Siqueira Examinador Interno
Maria Lúcia Barros de Camargo Orientador
Claude Emmanuel Labrunie Examinador Externo

Resumo: Objetiva refletir sobre a aplicabilidade do grupo de movimento para os usuários de álcool e de outras drogas, como estratégia terapêutica. A política de atenção ao uso álcool e de outras drogas do Ministério da Saúde incita a pensar estratégias de intervenções diferenciadas para esses usuários, visando ao seu acolhimento, numa lógica não somente centrada na abstinência, mas em práticas que tenham como referencial a redução de danos. Tem como contexto de estudo o Centro de Prevenção e Tratamento de Toxicômanos, Secretaria de Saúde, da Prefeitura Municipal de Vitória, primeiro Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas do Estado do Espírito Santo, e os eixos de atuação de trabalho. Remonta à trajetória histórica da construção do grupo de movimento no período de 1995 a 2003, tendo como sujeitos do estudo os participantes do grupo de movimento realizado no período de novembro de 2002 a maio de 2003. Utiliza pesquisa documental, tendo como fontes os relatórios de gestão da instituição em questão, prontuários dos sujeitos, registros e planejamentos das sessões do grupo de movimento realizados por ocasião da realização da atividade. Utiliza entrevista semi-estruturada para buscar a interpretação que os sujeitos participantes da experiência deram ao processo realizado. Traz a interpretação dos sujeitos entrevistados sobre essa experiência, ressaltando a repetição dos efeitos produzidos pelo trabalho, por exemplo, sensações de vitalização e de relaxamento que podem instaurar novas vivências, capazes de ajudá-los num reposicionamento de suas histórias e padrões de consumo das substâncias psicoativas. Aponta a viabilidade do grupo de movimento como recurso terapêutico possível para esses usuários, resguardando a singularidade dessa clientela, por exemplo, a oferta de grupos abertos e não fechados considerando a dificuldade de adesão e continuidade do tratamento por parte desses usuários.

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105