O Consumo de Substâncias Psicoativas e suas Implicações na Qualidade de Vida de Usuários dos Centros de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas da Grande Vitória, ES

Nome: Jeremias Campos Simões
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 23/09/2016
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Maria Helena Costa Amorim Co-orientador
MARIA HELENA MONTEIRO DE BARROS MIOTTO Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Maria Helena Costa Amorim Coorientador
MARIA HELENA MONTEIRO DE BARROS MIOTTO Orientador

Resumo: O consumo de substâncias psicoativas configura-se como fenômeno de estudo no campo da saúde coletiva e suas implicações repercutem na vida do usuário. Os objetivos do estudo foram: avaliar o perfil sociodemográfico e descrever o padrão de consumo de substâncias psicoativas utilizadas pelos sujeitos atendidos nos Centros de Atenção Psicossocial Álcool e drogas dos municípios de Vitória, Vila Velha e Serra, Espírito Santo, Brasil, e investigar o impacto dos fatores socioeconômicos e uso de substâncias psicoativas, na qualidade de vida desses sujeitos. Trata-se de um estudo transversal, desenvolvido entre junho de 2015 e fevereiro de 2016. A amostra foi calculada, utilizando-se o programa Bioestat 3.1, considerando a população estudada em torno de 1.000 usuários no período de estudo, prevalência de consumo de drogas de 50%, nível de confiança de 95% e erro amostral de 5%, determinando assim a amostra final de 280 sujeitos. Os dados foram analisados pelo Pacote Estatístico para Ciências Sociais, versão 20.0. Foram utilizados três questionários na forma de entrevista: sociodemográfico, instrumento denominado Alcohol, Smoking and Substance Involvement Screening Test e Whoqol-Bref. Para o primeiro objetivo foi realizada análise descritiva dos dados, utilizando-se o teste Qui-Quadrado. Calculou-se o Odds Ratio (OR) com intervalo de confiança de 95%. Para o segundo objetivo, utilizou-se a análise descritiva dos dados, através de tabelas de frequência com número e percentual para cada item do instrumento, além de média, mediana e desvio padrão. A comparação da qualidade de vida com as variáveis sociodemográficas e padrão de consumo foi testada por meio do teste mais apropriado - teste Qui-quadrado e/ou Exato de Fisher e ANOVA. O nível de significância adotado foi de 5%. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Espírito Santo sob o nº 1.081.491/15. Os resultados demostraram que 78,9% dos participantes declararam-se não brancos, 74,3% pertenciam ao gênero masculino. Foi encontrado padrão de consumo na vida para todas as drogas, prevaleceu o consumo de abuso para tabaco (60,9%), cocaína aspirada (39,6) e maconha (37,4%), enquanto que para dependência destacaram-se crack (59,1%) e álcool (50,0%). Foi evidenciada significância estatística para o padrão de consumo de dependência para álcool (p=0,04), maconha (p=0,00), na variável idade e cocaína inalada para variável idade (p=0,05) e renda (p=0,00), além de relato de insatisfação quanto ao estado de saúde em 40,71% dos usuários e autopercepção negativa para qualidade de vida por 38,5% da amostra. Para todos os domínios foi identificada média abaixo de 54,3, indicando baixa qualidade de vida. Baixa condição econômica foi associada a pior qualidade de vida (p=0,00; OR: 2,1. IC 95%: 1,2 - 3,5), e para o consumo de álcool foi potencialmente significante apresentar padrão de uso de abuso/dependência e pior qualidade de vida (p=0,05). A explicitude do consumo de substâncias psicoativas mantém o sujeito inserido em um contexto de vulnerabilidades nos aspectos da saúde e no campo social. A insatisfação da condição de saúde e o baixo indicador de qualidade de vida encontrados devem ser usados como indicadores para desenvolvimento de ações para melhor atender as demandas dos usuários desses serviços.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105