Abuso e Dependência de Drogas

Código: PGSC-2228
Curso: Mestrado em Saúde Coletiva
Créditos: 3
Carga horária: 45
Ementa: Estuda as diferenças entre os conceitos de abuso e dependência das drogas, a etiologia multifatorial da dependência química, bem como sua epidemiologia. Analisa o impacto do abuso e dependência de drogas na saúde coletiva e as políticas de enfrentamento da problemática das drogas.
Bibliografia: BLUME SB, ZILBERMAN ML. Women: clinical aspects. In: Lowison J, Ruiz P, Millman RB, Langrod JG, eds. Substance abuse : a comprehensive textbook, 4ºth edition. Lippincott Willians & Wilkins 2004:1049-64.
BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Saúde mental no SUS: os centros de atenção psicossocial. Brasília: Ministério da Saúde, 2004.
BRASIL. Secretaria Nacional Antidrogas (SENAD). Atualização de Conhecimentos sobre Redução da Demanda de Drogas. Brasília, 2004.
BRASIL. Presidência da República. Secretaria Nacional Antidrogas. In: Seminário Internacional sobre Políticas Públicas sobre Drogas. Brasília: SENAD, 2004.
BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria Executiva. Secretaria de Atenção a Saúde. Coordenação Nacional DST/AIDS. A Política do Ministério da Saúde para Atenção Integral a Usuários de Álcool e Outras Drogas. 1ª ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2003.
BRASIL. Presidência da República. Secretaria Nacional Antidrogas. Política Nacional Antidrogas. Brasília: Presidência da República, Gabinete de Segurança Institucional, Secretaria Nacional Antidrogas, 2001.
BRASIL. Ministério da Saúde. SAS. DAPS. Coordenação de Saúde Mental. Serviço de Atenção ao Alcoolismo e Drogadição. Normas e procedimentos na abordagem do alcoolismo. 2 ed. Brasília: Ministério da Saúde, 1994.
CENTRO BRASILEIRO DE INFORMAÇÕES SOBRE DROGAS PSICOATIVAS (CEBRID). I Levantamento Domiciliar Sobre o Uso de Drogas Psicotrópicas no Brasil – 2001. São Paulo, 2002.
DE LEON, G. Comunidades Terapêuticas: teoria, modelo e método. São Paulo: Loyola, 2003.
EDWARDS, G.; DARE, C. Psicoterapia e tratamento de adições. Tradução de. Adriana Veríssimo Veronese. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.
FERREIRA, LILIA EMÍLIA ALMEIDA. Análise de Política Pública de Saúde Mental: o caso do Estado do Espírito Santo. Dissertação de Mestrado - Programa de Pós-Graduação em Psiquiatria e Saúde Mental, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2005.
FORMIGONI MLOS. Organização e avaliação de serviços de tratamento a usuários de drogas. In: Seibel SD, Toscano-Júnior A. Dependência de drogas. São Paulo: Atheneu; 2001.
GARCIA, MLT.; SIQUEIRA, MM. Instituições especializadas no tratamento de dependência química no estado do Espírito Santo. J. Brasileiro de Psiquiatria 54(3)192-196, 2005.
HARTZ, ZMA CONTANDRIOPOULOS, AP. Integralidade da atenção e integração de serviços de saúde: desafios para avaliar a implantação de um “sistema sem muros”. Caderno Saúde Pública, 20 Sup 2: 5331-5335, 2004.
LARANJEIRA, R E ROMANO, M. Consenso Brasileiro sobre Políticas Públicas do Álcool. Revista Brasileira de Psiquiatria, 26 (1): 63-67, 2004.
NATIONAL INSTITUTE ON ALCOHOL ABUSE AND ALCOHOLISM (NIAAA). Drinking in the United States: main finds from the 1992 National Longitudinal Alcohol Epidemiologic Survey (NLAES). Bethesda: National Institute of Health; 1998. Available from: http://www.niaa.nih.gov/publications/Nlaesdrm.pdf
ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE (OMS). Neurociências: consumo e dependência de substâncias psicoativas. Genebra: OMS, 2004.
ORGANIZACION PANAMERICANA DE LA SALUD (OPAS) & COMISSION INTERAMERICANA PARA EL CONTROL DEL ABUSI DE DROGAS (CICAD). La Dependencia de las Drogas y su Tratamiento – guia y criterios básicos para el deserollo de programas de avaluación de la calidad y normas para la atención de la dependencia de drogas. OPAS/CICAD, 2000.
RIBEIRO, M. Organização de serviços para o tratamento da dependência do álcool. Revista Brasileira de Psiquiatria 2004; 26(Supl I): 59-62.
RODRIGUES, T. Política e drogas nas Américas. São Paulo: EDUC: FAPESP, 2004.
RYCHTARIK, RG; CONNORS, GJ.; WHITNEY, RB.; MCGILLICUDDY, NB.; FITTERLING, JM.; WIRTZ, PW. Treatment settings for persons with alcoholism: evidence for matching clients to impatient versus outpatient care. J Consult Clin Psychol. 68(2):277-89, 2000.
SACARDO DP. Das políticas públicas às políticas públicas saudáveis: contribuições para a promoção da saúde. Mundo Saúde. 2003; 28 (1):5-13.
SAMET, JH; FRIEDMAN, P; SAITZ, R. Benefits of linking primary medical care and substance abuse services. Patient, provider and societal perspectives. Archives of Internal Medicine, 161:85-91, 2001.
SILVEIRA, DX; MOREIRA, FG. Panorama atual de drogas e dependências. Org. Dartiu X. Silveira, Fernanda G. Moreira. 1a ed., São Paulo: Ed. Atheneu, 2006.
UNITED NATIONS OFFICE FOR DRUG CONTROL AND CRIME PREVENTION (UNODCCP). World drug report 2000 [text on the Internet]. New York: Oxford Press, 2000. Available from: http://www.undcp.org/adhoc world_drug_report_2000/report.html
WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). The World health report 2002. Geneva: WHO; 2002.
WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). Global Status Report on alcohol [text on the Internet]. Geneva: WHO, 1999. Available from: http://www.who.int/substance_abuse/pubs_alcohol.htm
WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). Tobacco Free Initiative. Tobacco control country profiles [text on the Internet]. Geneva: WHO, 2000. Available from: http://www5.who.int/tobacco/page.cfm?sid=57#European

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Maruípe, Vitória - ES | CEP 29043-900